Holistika

Um espaço que trata da saúde da alma, da mente e do corpo

Arquivo para machismo

Semana da Mulher (3) – Dois tipos de homem

Ressalto aqui que as generalizações são sempre injustas, porque as exceções existem. Nada mais apropriado do que falar de homens, na Semana da Mulher. Existe um mito de que “as mulher adoram falar mal dos homens quando se juntam e vice-versa”. Correção: algumas mulheres gostam de falar mal de alguns tipos de homens e vice-versa.

As mulheres sábias preferem falar do que há de melhor nos melhores homens. E vice-versa.

A escola da vida me fez chegar à conclusão de que existem dois tipos de homem. Eu vejo assim mesmo, dessa forma simples. Há os homens que gostam de mulher e há os homens que não gostam de mulher. Ou melhor, os que pensam que sabem gostar de mulher. Mas não sabem.

Vou começar falando dos que gostam, pois são mais agradáveis de ser citados e descritos.

Na minha opinião, os homens que gostam de mulher:

– jamais falam de maneira depreciativa de uma mulher;

– são sensíveis (e inteligentes) o suficiente para diferenciar “brincadeira saudável” de “desrespeito”;

– tratam com carinho, respeito e amor as mulheres de sua vida: mãe, irmãs, primas, tias, avós, filhas, namorada, noiva, esposa;

– não têm amantes, pois respeitam tanto a inteligência da esposa quanto a da possível amante;

– jamais repartem intimidades vividas com mulheres;

– são românticos, bem-humorados, gentis, cavalheiros, companheiros;

– se preocupam com o bem-estar, saúde e prazer feminino;

– não traem (porque amam e não por imposição), pois ninguém é obrigado a ficar com alguém com quem não se queira conviver;

– acham óbvio que ficar com quem não se ama é prisão, burrice, e atrapalha a felicidade de ambos;

– não agridem fisica ou moralmente uma mulher;

– respeitam a inteligência feminina e não mentem;

– fazem amor quando sentem vontade na alma;

– entendem por que é importante mandar flores;

– entendem por que é importante se dizer que se ama, apenas quando se ama;

– se dedicam a tentar entender o universo feminino em busca de uma aproximação maior de alma;

– elogiam quando a mulher se faz bonita;

– não esquecem de que toda mulher é um ser intuitivo, umas mais, outras menos e outras muito.

 Acho que eu poderia passar a noite aqui, listando tudo de bom que há nos homens que gostam, de verdade, de mulher. Na minha opinião, esses são alguns itens que denotam que um homem gosta de mulher. E há visão melhor do que a visão feminina quando o assunto é “homem que gosta de mulher”?

Por outro lado, o homem que “acha” que gosta de mulher, mas não gosta:

– vai dizer que admira o corpo feminino, mas lembre-se colega, mulher é mais que um buraco que funciona como depósito de fluidos masculinos;

– quando é apresentado a uma mulher bonita pensa logo: “como será que ela transa?”

– reparte com o time de futebol como “comeu” aquela mina no último sábado;

– olha para as mulheres como se elas fossem um equipamento de prazer e afazeres domésticos, é claro;

– é machista? Não, a palavra é EGOÍSTA;

– reproduzem máximas como: “homem tem que comer mulher a todo instante, senão ela vai me trair e vai achar que eu sou brocha”, “se me der mole, eu como mesmo”, “quanto mais mulher, melhor”… e outras pérolas do gênero; 

– bate em mulher e acredita, realmente, que tem esse direito e que ela lhe deu motivos para tal;

– alguns matam, por muitas razões, porque se acham PROPRIETÁRIOS da mulher, ora.

E vou parar por aqui, senão em vez de exaltar o sexo masculino em harmonia com o feminino vou evocar a revolta e o objetivo deste post é falar bem dos homens que gostam de mulheres (de verdade) e das mulheres que gostam de homens (de verdade). Chega de cafas e vagabas.

Não é sonho, nem utopia. Os homens de verdade existem. Não vou quantificar, nem levantar percentuais, mas sei que eles existem. E, na verdade, acredito que tudo é uma questão de encaixe e reciprocidade.

Em vez de apredejar os homens (pobres de espírito) que pensam que gostam de mulher, aproveito a oportunidade para dedicar este post aos homens (benditos sejam) que conseguem enxergar o valor de uma mulher de verdade, na sua companheira, namorada, mãe de seus filhos, enfim, a sua mulher.

Palmas aos homens que gostam de mulheres. O nosso muito obrigado e que nós tenhamos sempre o faro e o merecemento de reconhecê-los e atraí-los para nossas vidas.

Semana da Mulher (2) – Mulher, um ser de pétalas e espinhos (artigo)

 Recebi esse artigo por e-mail e achei apropriado que as pessoas leiam e reflitam sobre o tema neste semana

MULHER – UM SER DE PÉTALAS E ESPINHOS

A ascensão da mulher e a evolução dos seus papéis na sociedade merecem especial atenção. Por Amalia Sina. O Dia Internacional da Mulher é uma forma simbólica de comemorar a luta da classe feminina pela igualdade, não apenas de direitos, mas também de oportunidades. A mulher evidenciada na década de 50, como dona de casa exemplar, cuja principal e talvez única função fosse a dedicação ao marido e filhos, já não existe mais. Em pleno século XXI, a submissão deu lugar à independência e hoje, o que as mulheres faziam há décadas atrás continua sendo feito, porém, com muitas outras atividades envolvidas, o que faz com que a mulher moderna viva em um constante conflito: o desafio de conciliar diferentes papéis na sociedade.

A necessidade tornou-se estilo de vida, e foi o argumento inicial para que estas mulheres mostrassem a sua garra e começassem a sua luta, até então, silenciosa por um espaço mais digno perante a sociedade, ainda machista.

Mesmo tendo ciência das diferenças ainda impostas pelo mercado corporativo, como as diferenças salariais, cargas horárias estressantes, as mulheres têm alcançado cargos e profissões antes consideradas exclusivamente do universo masculino. E por conta disso, tem sido cada vez mais evidente mulheres ocuparem a presidência e diretoria de grandes empresas, mostrando o seu potencial para resolver problemas, unificar os prós e contras de cada decisão e tudo isso, com um olhar diferenciado que só nós conseguimos ter.

Entretanto, apesar de sermos maioria neste universo, o mundo ainda é feito para homens, e para alcançar o sucesso não basta apenas investir em conhecimento, ser criativa e versátil; é preciso vencer o preconceito e, principalmente, lidar com situações adversas. Temos que ser uma profissional exímia, arrumar tempo para os eventos corporativos e familiares, estar sempre bem vestida e arrumada e ainda, chegar em casa e cuidar da família com empenho e dedicação.

Posso dizer isso com propriedade, minha jornada até a presidência de grandes multinacionais foi desgastante e ao mesmo tempo gratificante. Hoje, sou responsável pela minha empresa, voltada para o segmento de cosméticos. Sei que dei um grande passo na minha trajetória, graças à capacidade feminina para definir metas e sonhos, com objetividade e sensibilidade que somos capazes de demonstrar sem parecermos frágeis.

Sim, nós podemos! Somos capazes de enxergar além e traçar um novo caminho, para isso basta viver com garra e determinação e ter coragem de dar o próximo passo.

Por isso, eu acredito ser um exemplo destas mulheres que perseguiram e ainda perseguem um sonho, ou melhor, próximas realizações. Aprendi a manter o equilíbrio pessoal e profissional, a tratar da beleza, buscar conhecimento, lapidar idiomas, investir em roupas e treinamentos… um sem fim de atividades utilitárias, além de saber otimizar o tempo para ter momentos prazerosos de lazer, descontração e auto-conhecimento.

Sobre Amália Sina

Amalia Sina é reconhecida como uma das mais bem sucedidas executivas brasileiras de sua geração. Foi presidente da Philip Morris do Brasil, da  Walita do Brasil e sênior vice-presidente da Philips para a América Latina. Com MBA em Marketing pela FEA/USP e Pós-graduada em Gestão de Marketing pelo Triton College, Chicago. É membro do Conselho Superior de Economia da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e membro da Associação Brasileira de Marketing.

E desde 2006, decidiu se lançar como empresária com a entrada da Sina Cosméticos no bilionário segmento da beleza, a principal marca da empresa é Amazonutry.